terça-feira, 21 de setembro de 2010

Paráfrase

Esse poema me veio após a leitura do texto "Silêncio da madrugada", de Icaro Simões.
Sem a devida permissão me veio a inspiração.

No silêncio da madrugada
Escondo-me sob o escuro do mundo.
Não há palmeiras cortadas ao vento,
Mas há cachorros que latem com medo
De uns passos mais apressados
De quem vem chegando atrasado.

Há quem grite com o filme da TV,
Mas não há desespero,
Apenas umas risadas do vizinho gordo
Que se faz ouvir até o final da rua.

4 comentários:

  1. espero não receber um processo por violação de direitos autorais =)

    ResponderExcluir
  2. Opa, sem processo nem nada. Fico muito feliz com isso. Aliás, esse texto aí tá realmente bom :P

    ResponderExcluir
  3. A paráfrase dá muito pano pra manga na propaganda como se ve em http://discutindoaredacao.wordpress.com/2010/10/16/nada-se-cria-tudo-se-parafraseia/

    ResponderExcluir